segunda-feira, 6 de abril de 2009

04/04/2009 -Quarto dia em Paris

04/04
c- “Adiê Pari”

Foi um longo, complicado e abençoado dia! Tentarei resumir.
1) Au revoir Paris! Snif, snif
2) Para não que não houvesse stress carregando enormes mochilas nas costas, abrimos mão de tomar café (mas passamos em uma bresserrie e compramos 2 macarrons, um tarte, 2 bolinhos e 2 coissants) levamos numa caixinha e fomos comendo, afinal vimos que em Paris em comum as pessoas comerem na rua (temos algo em comum com Paris pessoal de Salvador rsrsr)
3) Por muita dificuldade de informações fomos ao local da estação de ônibus pra Londres
4) Depois de percorrer quase 60 estações (ida e volta) gastar 1:30 descobrimos que era tão fácil e não necessariamente precisava que fôssemos, mas, aproveitamos e emitimos o bilhete (tínhamos comprado na internet direto no site da Eurolines = 40 euros por pessoa, ficava mais em conta que o avião Paris-Londres que era mais de 100 euros por pessoa). Na volta demos um passadinho na Boulevard Pasteur para ver uma Bresserie que gostei na última viagem, mas estava fechada
5) O sistema de transportes de Paris é simplesmente perfeito. Tudo é interligado metrô, ônibus e trem e os bilhetes valem um para o outro por um determinado tempo (1 hora)
6) As Alfândegas são um capítulo à parte e contarei mais adiante.
7) Chegamos à Londres. A entrada por ônibus é maravilhos. As casas ou mansões todas de tijolinho naquela arquitetura peculiar que todo mundo conhece. O Campo é lindo e bucólico com aqueles lugarejos interessantes. Enfim chegamos às 20:30.
8) A surpresa foi que Luis achava que nosso destino final era luton (cidade onde fica o aeroporto distante 1 hora de Londres., na,nã, na. Depois da dificuldades de comunicação (uma coisa é falar inglês macarrônico com os parisienses que também falam inglês macarrônico; outra coisa é falar com ingleses ufa, não falam correm... e são impacientes) Enfim, descobrimos onde tomar o tal ônibus. A região da Victória Station não é nada agradável. Segunda surpresa da noite, não aceitavam Euros ou Dólares e, segundo o motorista, não havia casa de câmbio nas proximidades. Fiquei sozinha (o lugar mio macabro) enquanto Luis foi procurar quem trocasse os Euros por Libras. Fiquei muito tranquila pois senti os anjos do Senhor nos protegendo. Quando tinha esses stresses antes de estar com Deus eu confesso que ficava muito nervosa, mas agora digo “eu sei em quem tenho cirdo” e pronto! Voltou Luis cheio de Libras esterlınas (extorquiram um pouquinho, mas conseguimos e ainda por cima pegamos o mesmo ônibus! (Glória `Deus!). Na confusao roubaram uma sacola nossa que estavam nossos lıvros, o guıa Europa e mınha Bıblıa de estımaçao.. tudo bem alguém devıa estar precisando rsrsr
9) A sensação de às 9 :30 da noite estar indo para um lugar que você não sabe onde fica nem o motorista consegue lhe dizer onde , não é das melhores, mas a tranqüilidade continuava (lembram-se dos anjos??) ele nos deixou no meio da cidade sem sabe pra que lado exatamente ir, porém , eis que uma pessoa desistiu do único taxi que estava no pedaço ,pegamos e finalmente, quase às 11 horas, chegamos no Quality hotel (49 euros p//2) excelente hotel, lindo mesmo. Depois da briga para ser entendida e entender, nos acomodamos e fomos procurar comida (o dia todo só comemos aquelas guloseimas que compramos pela manhã e dividimos um sanduíche de rodoviária (é ruim em qualquer lugar do mundo, até em Paris rsrsr).
10) Um friooooooo... só tinha restaurantes de mulçumanos (não sei de que raça, acho que do oriente médio) abertos. Que comida hooooorrroooooooosssaaaaaa!! Simpaticíssimos : Brasilllll???? Brasilllll? E desceram um monte de coisas tudo gorduroso: o pão com alho (tinha queijo por cima e uma gordura que vazava o pão)pedimos um misto de churrasquinho) na verdade a foto era uma e a gororoba era outra: um prato cheio de tripa, quibe (recheado de pimenta seca) carne em cubos, frango em cubos = a cor do frango era laranja escuro- creio que devido ao curry. Por baixo de tudo um enorme pão árabe com gosto de papel e uma salada (pedi, que coragem!) muito sem graça. De cortesia ele nos ofereceu uma gororoba frita (parecia com um tempurá) uns legumes fritos e empanados , nem comi pois vi um cabelinho (devia ser das barbas!!).Claro que não comi nada (belisquei a salada e o pão e experimentei o frango, Luis comeu um pouco, menos a tripa) Bem uma coisa estava ótima: a coca cola, tomamos duas garrafinhas (meu record). Não podemos negar a simpatia conosco.
11) Alfandegas
a. Aproveito para falar de todas as alfândegas até o momento: Na França parecia que estávamos entrando em nosso prédio, melhor pois nem porteiro tinha (claro depois que mostrarmos os passaportes em um local que nem fila tinha (que diferença da Itália).
b. Atravessando o Eurotrem: Que horror. Primeiramente, na França, apesar dos funcionários serem mais simpáticos, descemos do ônibus e nossas malas foram retiradas para passar no raio x. Depois de rodas no ônibus por diversos caminhos divididos por gelos baıanos

contınuo depoıs.....

Reações:

Um comentário:

  1. Muito divertido Iva!
    Quer dizer q depois da culinária francesa...teve q passar por isso?rsrsrs
    Bjs!

    ResponderExcluir

Amigo: Se você achou o BLOG útil, se quiser mandar um alô ou informar algo, agradeço seu comentário: